Call 023 7526 8539 or Make Online ReservationMAKE RESERVATION NOW

Blog » abril 2015

Mont Blanc

Categoria(s): Blog, Dicas, Doces

MB

Este doce francês é muito tradicional na ceia de Natal da França, apesar de ser também muito comum na Itália, principalmente nas regiões de Piemonte e Lobardia.

Ele é feito com castanhas portuguesas misturadas ao leite, açúcar, chocolate e rum.

O purê, que depois fica com forma semelhante ao spaghetti é também uma das marcas deste doce.

O nome Mont Blanc, se refere a sua forma. Decorado geralmente com chantilly, simula o topo branco de uma montanha com neve.

Ele pode ainda ser decorado com lascas de chocolate e marrom glacê.

Leia mais

Canelé

Categoria(s): Blog, Doces

canele

Canelé é uma receita clássica francesa, feita a partir de ovos, leite e açúcar.

Esse pequeno doce, tem uma experiência rica: crosta crocante caramelizada e interior macio e úmido, pena que ele acaba em duas mordidas! Tem um equilíbrio perfeito entre o doce e o salgado.

Após quase desaparecer no século 19 voltou no século 20, e se consolidou como um dos principais produtos da confeitaria francesa.

Sua história está ligada a história do vinho, pois naquela época durante o processo de clarificação dos vinhos com clara de ovo, conhecida como “collage”, as gemas que sobravam eram doadas para freiras, que teriam assim criado esse bolinho típico da região.

Em 1985, com a necessidade de valorizar e consolidar o Canelé como doce típico da região de Bordeaux, famosos confeiteiros se uniram para estabelecer um nome e uma receita padrão. Com isso, foi retirado um “n” da palavra, virando Canelé de Bordeaux para o original, e o nome genérico Cannelé Bordelais para os produzidos fora da região. A partir disso, a receita milenar passou a ser resguardada pelos produtores artesanais.

A receita trabalhosa, justifica o resultado final, é delicioso!

Leia mais

Baba au Rhum

Categoria(s): Blog

baba-au-rhum

Baba Au Rhun é um doce tradicional francês, que  surgiu em uma tentativa de deixar mais saboroso um bolo seco afogando-o em vinho. O rum veio mais tarde, com a evolução da receita.

Conta-se que ele foi criado por Nicolas Stohrer, em Paris, na primeira metade do século 18. O primeiro registro do comércio desse doce remete à sua própria doceria Stohrer, casa que ainda existe no coração da capital francesa: no número 51 da rua Montorgueil.

É um doce saboroso, macio, perfumado e se distingue dos outros por derreter na boca.

Por seu sabor muito especial, foi a sobremesa escolhida por Babette (antiga chefe do Café Anglais, um dos mais importantes restaurantes de Paris – de1802 a1913), no banquete por ela preparado em “A Festa de Babette” – Oscar de melhor filme estrangeiro, em 1988.

Leia mais

Especiarias Francesas

Categoria(s): Dicas, Especiarias

ervas de provenceA riqueza da culinária francesa é indiscutível – e não é de hoje. Suas técnicas seculares, seja no preparo de salgados ou doces, são notórias e utilizadas globalmente, com variações aqui e acolá que mantêm as raízes da gastronomia europeia e, ainda assim, se adapta à cultura dos outros países que tomam emprestado o conhecimento francês na cozinha.

Assim, mais que a Capital do Amor, a Cidade-Luz e uma das capitais mundiais da moda, a França é exuberante na sua culinária, desde a apresentação do prato ao capricho e sabor de suas receitas típicas.

Parte desse sucesso se deve às especiarias regionais, que são amplamente utilizadas e dão mais peculiaridades distintas às receitas francesas. Usadas com parcimônia, ainda que em quantidades elevadas, elas trazem aromas e sabores exclusivos – um dos segredos da culinária francesa, que se destaca mundo afora por esse e outros motivos igualmente suculentos.

Uma rápida apresentação delas, então: especiaria é o nome dado a diferentes tipos de condimentos, que são, por sua vez, temperos adicionais para complementar o deleite praticado em uma provadinha suculenta. As especiarias, inclusive, vão além da cozinha e, hoje em dia, são utilizadas na confecção de remédios e, até mesmo, de cosméticos.

Abaixo, podemos conferir algumas das especiarias francesas mais notórias:

Ervas finas: uma mistura inteligente de ervas secas ou frescas, que caem ainda melhor na companhia de ovos, quiches, suflês, saladas e até mesmo na tradicional massa de crepe francesa. Para o molho tártaro, é perdição, assim como em vinagretes e maioneses.

Ervas de Provence: a região de Provence não é famosa apenas pelos móveis que dão charme e estilo às festas e decorações caseiras. Dali nasceu, também, uma combinação de ervas que não deixa de mostrar uma sensível fragrância de lavanda, que confere sabores precisos às receitas, como em ensopados de carne ou de frango, além de queijos cremosos, raízes e tomates.

Outras mais utilizadas por lá são: pimenta branca moída, cravos-da-índia, gengibre e noz-moscada.

Leia mais