Call 023 7526 8539 or Make Online ReservationMAKE RESERVATION NOW

Blog » junho 2014

Pipoca

Categoria(s): Blog, Curiosidades

Talvez a pipoca seja um dos petiscos mais versáteis do mundo, agora em época de festas juninas e copa do mundo, se fazem ainda mais presentes. A história deste adorado petisco, é muito antiga, achados arqueológicos revelam que o plantio de milho já era feito em planaltos centrais do México cerca de 2.500 A.C. Para os astecas, o milho foi usado não apenas como uma importante fonte de alimento, mas também como ornamentos, e até uma forma de desvendar o futuro (homens experientes jogavam os grãos em uma fogueira e diziam prever o futuro de acordo com sua direção em que o milho estourava). Em 1493, Cristóvão Colombo trouxe o milho para a Europa.

Em 1885, o americano Charles Cretors inventou a máquina de pipoca. Quando um grão de milho esquenta, a umidade dentro do recipiente expande até que a casca dura não pode suportar a pressão e explode. Isto ocorre a uma temperatura de cerca de 240 a 260 ° C. Numa fração de segundos, o grão sobreaquecido se transforma em um sólido branco fofo e, em seguida, esfria. Através do resfriamento rápido, se solidifica, pouco antes da parte final da ‘explosão’. Pipoca é assim, na verdade, nada mais do que uma pequena “explosão congelada.”

Pipoca-colorida

Bom, deixando para lá o lado histórico, o que não pode-se negar é que todos adoram a companhia da pipoca para um bom filme, e agora, para acompanhar os jogos da copa do mundo. Falando nisso, que tal colocar a pipoca para torcer pelo Brasil e inovar para receber seus amigos? Coloque um pouco de corante na hora de preparar a pipoca, e deixe-as verde e amarela!

 

Leia mais

Petiscos Juninos

Categoria(s): Blog, Curiosidades, Dicas

juninasExistem duas explicações para o termo festa junina. A primeira explica que surgiu em função das festividades ocorrem durante o mês de junho. Outra versão diz que está festa tem origem em países católicos da Europa e, portanto, seriam em homenagem a São João. No princípio, a festa era chamada de Joanina.

De acordo com historiadores, esta festividade foi trazida para o Brasil pelos portugueses, ainda durante o período colonial (época em que o Brasil foi colonizado e governado por Portugal).

Como o mês de junho é a época da colheita do milho, grande parte dos doces, bolos e salgados, relacionados às festividades, são feitos deste alimento. Pamonha, cural, milho cozido, canjica, cuzcuz, pipoca, bolo de milho são apenas alguns exemplos.
Além das receitas com milho, também fazem parte do cardápio desta época: arroz doce, bolo de amendoim, bolo de pinhão, bombocado, broa de fubá, cocada, pé-de-moleque, quentão, vinho quente, batata doce e muito mais.

As festas juninas, certamente, estão entre as manifestações folclóricas brasileiras mais comemoradas. Embora a tradição seja mais forte no Nordeste do país, nesta época do ano, os arraiais se multiplicam por todos os cantos: escolas, igrejas, clubes e praças.

O que não falta é gente querendo encontrar o caminho da roça – um trajeto de delícias, com gosto de infância, enfeitado por bandeirinhas, aquecido e iluminado por uma bela fogueira, animado com forró, regado com quentão e recheado de guloseimas como canjica, pé-de-moleque, curau, arroz-doce, pipoca, milho verde, pamonha, tapioca, bolo de macaxeira, cocada, paçoca e variados caldos. Em Brasília, essas receitas não ficarão restritas aos festejos caipiras.

 

Leia mais

Culinária brasileira

Categoria(s): Blog, Dicas

Os pratos do Norte do Brasil têm maior influência dos ingredientes indígenas. Pratos conhecidos incluem o picadinho de jacaré (prato feito com a carne do jacaré), o pirarucu de casaca, preparado com azeitonas, ovos e cheiro-verde, o tacacá, o açaí, o pato no tucupi, prato consumido geralmente na época do Círio de Nossa Senhora de Nazaré, e a maniçoba.

tapiocaPratos característicos da Região Nordeste incluem a a tapioca, o vatapá, a moqueca (ambos com frutos do mar e azeite-de-dendê), o baião de dois (feito de arroz e feijão, com diversas variedades, geralmente incluindo também carne seca, queijo coalho, manteiga da terra ou nata), o acarajé (um bolinho de feijões brancos e cebola fritado no azeite de dendê recheado com camarões, pimenta vermelha, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional como patrimônio imaterial em 2004, o mugunzá (feito de feijão e milho, sendo doce em algumas áreas e, em outras, salgado, com lingüiça), caruru (quiabo e castanhas de caju, camarões, pimenta e alho), iguaria de origem indígena adaptado pelos escravos nos engenhos e servido aos orixás[8] e o sarapatel. Os pratos tem forte influência africana.

Outras comidas tradicionais são a farofa, a paçoca, a canjica, pamonha, a carne-de-sol, a rapadura, a buchada de bode, o queijo coalho, o siquilho, o alfinim, a panelada, a maria-isabel o carneiro cozido e a galinha à cabidela. Um bolo originário de Pernambuco, mas que posteriormente espalhou-se pelo país é o bolo de rolo, feito com farinha de trigo e recheado. No Maranhão, desenvolveu-se o cuxá com base em uma erva africana, a vinagreira, recebe ainda o caruru e a língua-de-vaca, outra erva.

O pequi é um fruto muito popular na culinária do estado de Goiás, comido geralmente com o arroz ou frango cozido. O Milho tem presença forte na culinária goiana. Colhido ainda verde, seus grãos podem ser cozidos na espiga e ingeridos desta forma, ou cortados e refogados. O milho verde é também igrediente principal de diversos pratos, como a Pamonha, o Angu e o Cural. Outro prato tradicional de Goiás é o Empadão Goiano, uma torta salgada sendo seu recheio composto de ingredientes variados e comuns da região, como o frango, a linguiça suína, o milho verde e outros. São muito apreciados os derivados da carne suína, como a linguiça, o torresmo, a pururuca e a feijoada. A culinária goiana teve e tem forte influência da culinária mineira, mas preserva sua identidade.

Em Minas Gerais, famosa pela Cozinha mineira, os pratos regionais incluem milho, carne de porco, queijo minas, o pão de queijo, o feijão tropeiro, angu, o tutu à mineira, uma pasta de feijão com farinha de mandioca e bananas fritas. Uma comida típica de São Paulo é o virado à paulista, o qual é feito com arroz, tutu de feijão (massa de feijão com farinha de mandioca), couve-de-folhas salgada e pedaços de carne de porco. Na cidade de São Paulo é possível encontrar grande variedade de culinárias, da francesa à chinesa. A cidade de São Paulo é a capital gastronômica mundial, pois lá existe pratos de todos os povos do mundo. Os pratos tem forte influência libanesa, síria e italiana.

O prato local principal no Espírito Santo é a moqueca capixaba (a qual inclui principalmente peixe e tomates), diferente do prato baiano apenas no preparo, pois o último receberia azeite-de-dendê e leite de coco[8]. Além de outras comidas saborosas que o Espírito santo oferece, principalmente frutos do mar, que são leves, combinando com o estado, de paisagens leves e bonitas. Os pratos tem forte influência indígena.

No Rio de Janeiro, uma das comidas típicas é a feijoada, trazida pelos africanos, preparada com todos os tipos de carne suína/bovina. Há também o tradicional filé com fritas, um prato a base de muitas batatas-fritas crocantes e grandes pedaços de bife frito. Na cidade do Rio de Janeiro e em outras cidades do estado, se encontra todo tipo de restaurante, com todas as comidas existentes. No Rio de Janeiro se consome também peixes acompanhado de pirão, ou peixes na brsa/fritos, e também frango assado na brasa, além de muito mais. Os pratos tem forte influência africana, indígena e portuguesa.

No Rio Grande do Sul já é tradicional o churrasco, ou seja, carne bovina assada em churrasqueiras. A comida tradicional do estado do Paraná é o barreado, carne cozida em panelas de barro, por vezes colocadas debaixo da terra para cozinharem sob o calor do sol, e comida com farinha. Os pratos são sempre carregados de muita carne bovina e de vinhos, poor conta da grande imigração ialiana, que tem forte influência nos pratos.

Leia mais

Petiscos para os dias de jogo

Categoria(s): Dicas

pipocaA copa no Brasil vai deixar todos ligados no futebol, e é comum receber os amigos em casa para torcer pelo Brasil. Separamos algumas sugestões para esta ocasião! O melhor é servir comidinhas simples e finger food. Pipocas, batatinhas, amendoim, mix de castanhas, e salgadinhos são simples e gostosos. Para compensar sua simplicidade podem ser servidos  em pratos, bowls e saladeiras. Quem sabe verde e amarelo?

Para acompanhar os salgadinhos, deixe a disposição patês e molhos. Pode ser creme de queijos, guacamole, cebolas, azeitona, tártaro, ervas, pães e torradinhas complementam bem esse grupo de petiscos.

Se quiser servir algo mais sofisticado, como azeitonas temperadas, tapenade, abobrinha e beringela em conserva, mix de queijos, sardela, cebola caramelizada, entre outros são algumas sugestões.

Uma dica mais leve e saudável, são os palitos de legumes (cenouras, pepinos e palmitos por exemplo), podem ser servidos em copos transparentes e molhos à base de iogurte para acompanhar.

Uma mão na roda, é comprar os aperitivos prontos, como salgadinhos (coxinhas, bolinha de queijo, kibe, risólis, pastéis), sanduíches de metro, mini hamburgueres, mini cachorro quente. E não deixe de lado diversas opções de bebidas alcoólicas e não alcoólicas.

Leia mais